“É proibido fumar” estimula o fumo

Pelo menos é esse o resultado da pesquisa feita por Brian Earp, da Universidade de Oxford, apresentada no encontro anual da Sociedade Britânica de Psicologia.

Segundo Earp, as placas de “não fume” causam o efeito contrário que o desejado por seus idealizadores.

A culpa seria do chamado Efeito Irônico. Quando uma chamada de “O Ministério da Saúde adverte: Fumar causa câncer nos testículos” salta na tela da tv, no meio de uma corrida de fórmula 1, o que chegaria ao cérebro de um fumante seria algo como “Putz, bem que queria um cigarrinho agora!”.  Um lembrete para a prática do ato, no fim das contas.   

Para o estudo foi usado um tipo de joystick nas mãos dos pesquisados, capaz de perceber um movimento ínfimo. Ao ver algo que cause repulsa, as mãos instintivamente afastam o joystick do corpo. Acontece que os fumantes fizeram justamente o contrário ao ver os alertas, aproximando o controle do corpo em exibição de desejo.

O mesmo aconteceria com qualquer placa ou anúncio proibitivo, contra drogas, sexo inseguro e até alimentos.

Sobre doutorcasa

Neurocirugião autodidata, paranormal e carpinteiro.
Esse post foi publicado em ah a ciencia e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s